TALVEZ

Faculdade. Trabalho. Amigos. Questões pessoais (muito pessoais). MCC. Sonhos. Vontades…

O problema das vontades é que elas ainda não deixaram de ser apenas vontades. Continuam na mesma. Continuam não sendo realizadas.

Faltou uma coisa nessa lista de coisas que ocupam minha mente e meu dia-a-dia. Uma coisa que talvez não seja pra mim. Ou talvez minha frieza, minha grande exigência, meus julgamentos não me permitem ter. Talvez eu não mereça, talvez eu hoje, mais do que nunca, esteja precisando e não consigo.

Tenho uma grande trava para relacionamentos. Não sei onde errei, não sei se continuo errando, não sei se são os outros que erram, só sei que esta vida, hoje, me fez falta. Aqui neste espaço reservado para expor meus sentimentos, já falei que não é necessário, que sou uma pessoa que pode passar um grande tempo sem sentir falta disso. Mas acho que esse tempo acabou.

Não vou sair por aí procurando um namorado, não vou ficar caçando o amor da minha vida no Tinder. Pra mim, entrar em um relacionamento é algo que deve acontecer da forma mais natural possível. Sem forçar a barra, sem exigências, sem julgamento.

Estou fazendo tudo errado, sempre fiz tudo errado. Digo, por vezes, que é errado termos um pré-conceito errado. A outra pessoa pode vir a se tornar seu melhor amigo, seu anjo da guarda, o amor da sua vida. Mas não adianta, esta garota julga, julga muito. Falar isso dói, mas é preciso. É necessário soltar o que está prendendo a nossa mente. Como o catarro que nos impede de respirar quando estamos doentes.

É difícil falar sobre vida amorosa, é difícil ficar o tempo todo rindo e brincando que vou ficar pra titia. É um horror pensar que pelo meu ego posso me tornar uma pessoa fria e solitária. Não é assim que planejei. Talvez eu não devesse planejar, talvez devesse deixar acontecer. Foi isso que vi no Curso de Improviso. Ao subir no palco para fazer uma cena, deixe sua mente livre de pensamentos, liberte-a. Se a vida é um teatro, se a vida é um palco, quero que seja de improviso. Quero fazer tudo a partir do que está ao meu alcance, se tenho um tema, uma frase, já posso começar a cena e fazer acontecer, sempre com a ajuda de quem está comigo no palco.

O amor é uma grande incógnita que fica martelando na mente até o momento que a gente encontra ele. Quando encontramos, instantaneamente paramos de sentir as marteladas e deciframos a incógnita. Refiro-me ao amor de relacionamento, de romance, de paixão. Uma pena que essa incógnita parece estar cada vez mais difícil de resolver e mais fortes são as marteladas.

Hoje em dia as pessoas não sabem mais tanto assim o que é o amor. Talvez nem eu saiba direito. Talvez esse mundo de hoje tenha me desvinculado do verdadeiro significado do amor. Talvez eu esteja precisando de uma aula sobre amor antes de querer amar e ser amada.

Talvez.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s