Por dentro, por fora

Eu vejo o que os outros não veem.

Eu sinto o que os outros não sentem.

Eu me sinto diferente dos outros,

sou a ovelha perdida do rebanho.

Mas não de uma maneira ruim,

apenas diferente.

Eu vejo coisas que eles não têm

a sensibilidade de ver.

Mas aqui isso não se aplica,

aqui não tem lugar para pessoas diferentes,

de outras formas, apenas pessoas

quadradas são aceitas aqui.

Eu não me sinto bem nesse meio,

me sinto presa, como um pássaro numa gaiola.

Eles não me entendem, desde quando estou aqui,

sou incompreendida.

Já tentei mudar meus argumentos e

estratégias, mas é inválido.

O que eu digo não tem valor, nem voz

e, pelo que parece, nem sentido.

Eu preciso me livrar dessa gaiola,

preciso voar, abrir as asas

e mostrar meu canto para quem quer ouvir.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s